Mãe de Justin Bieber produz filme pró-vida

Pattie Mallette, a mãe de Justin Bieber, é contra o aborto e foi uma das produtoras do filme pró-vida Crescendo.

Ela usou a fama do próprio nome para a divulgação e, graças a sua influência, o curta-metragem foi noticiado até na MTV.

O roteiro, baseado na história real do grande compositor alemão Ludwig van Beethoven, tem muitos pontos de convergência com a vida de Pattie: Bieber foi concebido num momento em que Pattie não queria ser mãe, o aborto foi uma opção mas só não ocorreu porque Pattie encontrou o apoio necessário num centro de ajuda a gestante em crise – para dar a luz aos 18 anos.

O Filme

Crescendo conta a vida de Beethoven antes de seu nascimento. Ele foi concebido em um momento que Maria Magdalena Beethoven estava deprimida e não queria um filho.

crescendo1-300x383O cartaz faz alusão a escuridão em que Maria Magdalena se via.

Mesmo sendo só um curta-metragem, a sensibilidade e excelente atuação da atriz Montserrat Espadalé exprimem a tristeza, a confusão e a solidão em que a mãe de Beethoven se encontrava. Por isso, rejeitando a gravidez, ela decide fazer um aborto.

De fato, ela o faz; mas – para ganho da humanidade – não obtém sucesso: o bebê nasce e ela se vê empurrada pela vida a aceitar o filho.

Como em muitos casos, o tempo mostra que a criança não acentua a degradação que a mãe se sentia – pelo contrário: é no amor e no relacionamento com o menino que ela se levanta e encontra alegria e sentido para a própria vida.

Maria Magdalena agora ama alguém e é correspondida. Ela já não está mais sozinha.

A continuação da história, o filme não conta mas o expectador já sabe: Ludwig van Beethoven se torna um dos maiores gênios de todos os tempos da música clássica.

Os Bastidores

facebook-Cine-con-Causa-620x413Da esquerda para direita: Eduardo Verastegui, Pattie Mallette, Alonso Alvarez Barreda e Jason Jones; realizadores do curta “Crescendo”. (Facebook/Cine con Causa)

A produção, além de Mallette, contou também com Eduardo Verastegui, Alonso Alvarez Barreda e Jason Jones – que dedicou o trabalho à sua filha Jessica Jones, que morreu num aborto provocado.

Jessica foi concebida quando seu pai tinha apenas 17 anos, o jovem casal de namorados queria a bebê, entretanto, o pai da namorada de Jason, avô da nascitura, descobriu a gestação e obrigou a filha a fazer um aborto quando ela estava no 6º mês da gravidez.

Desde então Jones, em memória da filha, passou a integrar o movimento pró-vida, para que aquilo a que foi sentenciado Jessica não ocorresse a outra criança; e como produtor de filmes, tem usado de seu talento em defesa da vida.

O vídeo, de produção americana, tem por idioma o alemão – terra de Beethoven. A versão completa (de apenas 13 minutos) foi legendada em português pela organização Brazil4Life e pode ver visto aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *