A missão da mulher na defesa da vida ou a queda na perversão

Por Tathi Locatelli com apoio de William Murat

Vejam as comemorações que ocorreram na legalização do aborto na Argentina e concluam se o aborto é ou não degradação – da mulher, da vida humana, da sociedade:

 

O Papa São Joao Paulo II, na Exortação Apostólica Christifideles Laici, sobre a Vocação e Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo, tem algo a dizer sobre a missão da mulher:

 

51 . (…) com « os olhos iluminados pela fé » (cf. Ef 1, 18), a mulher poderá distinguir entre o que verdadeiramente responde à sua dignidade pessoal e à sua vocação e tudo o que, talvez sob o pretexto dessa “dignidade” e em nome da “liberdade” e do “progresso”, faz com que a mulher não contribua para o fortalecimento dos verdadeiros valores, mas, pelo contrário, se torne responsável da degradação moral das pessoas, dos ambientes e da sociedade.

Realizar um tal “discernimento” é uma urgência histórica inadiável (…)

 

Ou nós mulheres assumimos nossa missão na defesa e acolhimento da vida, ou seremos destruídas – para então, uma vez que a alma estiver morta, sermos usadas e manipuladas pelos abortistas.

Mulheres, não se deixem enganar pelo mal!

O movimento abortista (por meio da propaganda, novelas, meios de comunicação e até universidades) destrói aquilo de mais belo que há em nós: arranca a nossa vocação e missão – que é o verdadeiro caminho para a nossa felicidade.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.