Pais de bebês que não sobrevivem após o parto contam a própria experiência

Todo Valió La Pena (“Tudo valeu a pena”, tradução livre) é uma associação formada por pais que passaram pelos desafios de gestar um bebê que não sobreviveria após o parto.

Por meio da associação, eles compartem a própria experiência a fim de ajudar outras famílias que passam por situações similares.

São pais que narram os desafios e a recompensa de terem dado somente a vida aos filhos.

Tudo valeu a penaAtravés de vídeos curtos, mães e pais falam sobre a gravidez da criança, o momento em que receberam o diagnóstico de que o bebê morreria após o parto, o nascimento do bebê e contam como viveram essa experiência.

Um casal expôs que depois de receber um “diagnóstico desolador” sobre o filho, se sentiram “angustiados, confusos, triste e abandonados por nosso médico. Não sabíamos como enfrentar a situação, ninguém estava preparado para receber essa notícia”.

“Por outro lado, a opção de realizar um aborto tampouco aliviava a nossa dor, porque a causa da nossa dor era precisamente saber que o nosso filho iria morrer”, disse o pai.

Com o objetivo de amar e cuidar do filho mesmo sabendo que ele irá morrer depois do parto, esses pais chegaram até o Programa de Cuidados Paliativos Perinatales “Acompañares UC”, da Pontifícia Universidade Católica do Chile.

No programa, uma equipe interdisciplinar de profissionais oferece atenção, compreensão, cuidados durante a gravidez, respostas, auxílio no parto, no pós-parto e apoio no luto à essas famílias.

Acompañares UC nos deu esperança, paz, amor e tranquilidade. Nos deram a oportunidade de conhecer o nosso filho, de nos despedir temporariamente e de cuidar dele até o último suspiro. Tudo valeu a pena”.

Sandra Velásquez conta como foi dar a vida para sua filha, Valentina, que tinha anencefalia e viveu apenas 57 minutos. “Com a dor que é uma notícia como essa, decidimos ir em frente com a gravidez de nossos filhos”, e explica que assim pode “sentir que demos tudo até o fim, que não lhe tiramos a vida, que você escolheu a vida, porque ninguém merece ser tratado dessa forma [ter a vida tirada, ser abortado]”.

Grace Pozo deu à luz a Amanda, uma menina gravemente doente que morreu seis dias após o nascimento. “Se tivesse que viver a experiência, viveria novamente. Apesar da dor de não ter minha filha fisicamente comigo, ela está no meu coração. E de verdade, tudo que eu lutei valeu a pena”, expressou.

Ao final do vídeo, Grace mostra fotos de sua filha e diz: “Esta é a criança que me ensinou todas as coisas lindas desta vida, a valorizá-la, a respeitá-la desde dentro da minha barriga e não querer fazer nenhum tipo de atentado porque ela vinha doente”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.