Aborto e Fake News: você não acredita em teus olhos?

Não se engane: o que a militância abortista mais deseja é criar confusão junto à opinião pública. Seja falsificando os dados de mortes maternas, seja escondendo os efeitos desastrosos do aborto à saúde física e psíquica das mulheres, seja tentando esconder que a ciência já reconhece que a partir da concepção existe um novo ser humano, etc.

A mais nova forma que tem sido utilizada pelos militantes e simpatizantes da liberação do aborto é dizer que notícias que são divulgadas mostrando a desfaçatez e total desrespeito pela vida humana dos abortistas tratam-se de “Fake News” inventadas pelos pró-vida.

Recentemente divulgamos em nossa página no Facebook uma notícia sobre uma lei que está sendo aprovada no estado norte-americano de Illinois cujo conteúdo, como indicado pelo site National Review, “virtualmente retira toda as restrições aos abortos feitos nos últimos estágios da gestação e às penalidades impostas aos médicos que faziam tais tipos de aborto”.

Como indicamos em nossa postagem no Facebook, esta legislação revoga a restrição que há ao “Aborto por Nascimento Parcial”, um procedimento que é tão asqueroso, tão absurdamente cruel, que até mesmo militantes abortistas têm sérias restrições contra ele. 

O Padre Frank Pavone, uma das mais ativas lideranças pró-vida dos EUA, explica como é este procedimento. Aliás, nem mesmo é ele quem realmente explica o procedimento, ele apenas divulga o áudio de uma conferência na qual o médico abortista Martin Haskell instruía outros médicos sobre o método de fazer um “Aborto por Nascimento Parcial”.

Como dito pelo próprio Padre Pavone, ao final da fala do Dr. Haskell, a audiência aplaude. Estes, como o próprio padre escreveu em um artigo que traduzi em 2007 e que foi publicado aqui no blog, são os aplausos do Inferno. Eis a transcrição da fala do médico abortista:

“O cirurgião então introduz o fórceps (…) através dos canais vaginal e cervical (…) Ele então move a ponta do instrumento cuidadosamente até uma das extremidades inferiores do feto e puxa esta extremidade até a vagina (…) O cirurgião então utiliza seus dedos para puxar a outra extremidade, e depois o torso, depois os ombros, e as extremidades superiores. O crânio está fixado mais internamente. O feto é posicionado (…) a coluna vertebral mantida ereta (…) O cirurgião então pega com a mão direita uma tesoura curva Metzenbaum de ponta achatada (…) força a tesoura na base do crânio — abre a tesoura para alargar a abertura. O cirurgião introduz então um catéter de sucção neste buraco e suga o conteúdo do crânio.”

Este é o horror que os abortistas tentam de todas as formas esconder da opinião pública. Esta mesma opinião pública vem sendo alvo constante de uma maciça campanha de desinformação por parte dos abortistas e seus simpatizantes, principalmente dos poderosos, tais como a grande imprensa e a academia. Um excelente exemplo desta desinformação é o fato de que muitos não sabem ainda que a chamada “pílula do dia seguinte” pode atuar como abortivo, que ela é, como indicamos em uma postagem anterior, uma roleta-russa com a vida alheia.

E é também este horror da indústria do aborto que muitos, às vezes por simples ingenuidade, preferem achar que o que divulgamos trata-se de “Fake News”. Foi exatamente isto que aconteceu com algum dos leitores de nossa página no Facebook quando nos referimos ao procedimento de “Aborto por Nascimento Parcial” que estaria liberado pela legislação altamente permissiva que está em processo de aprovação em Illinois. 

Eis alguns exemplos:



Seria ótimo se fosse mesmo “Fake News”. Mas não é. E basta buscar as informações, que são até bem fáceis de achar. A única coisa necessária é boa vontade.

A ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel divulgou em sua conta no twitter o  mesmo assunto há alguns dias, e ainda fez a conexão com o fato de que estas iniciativas vem sendo levadas à frente pelo Partido Democrata.

Como a chiadeira foi alta por parte do pessoal que parece que não se dá conta dos tempos de degradação moral em que estamos vivendo, ela até mesmo indicou links para que os céticos pudessem tirar suas dúvidas:

Eu realmente não tenho como saber até que ponto os que disseram que o que divulgamos tratava-se de “Fake News” estavam fazendo parte da constante campanha de desinformação abortista. Há muitos que duvidam de tais atrocidades até por boa-fé, já outros porque não conseguem conciliar suas tendências permissivas ao aborto com uma notícia como a desta legislação de Illinois, na qual fica claro a completa perversidade da indústria abortista.

O fato, porém, é que os abortistas adoram e contam mesmo que muitos não acreditem do que eles são capazes de fazer para levar seus objetivos à frente. E, se um Aborto por Nascimento Parcial não faz alguém se conscientizar de que defender qualquer tipo de aborto é também defender uma atrocidade como esta, eu realmente não sei mais o que é possível para abrir os olhos de tal pessoa, pois ela não quer acreditar o que está diante de seus próprios olhos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *