Diagnosticada com câncer e contra o conselho de seus médicos, esta mãe recusou abortar sua filha

Image may contain: 1 person, sleeping and baby
Sarah e sua filhinha

 

Eis um forte testemunho dado por Sarah Wickline Hull em sua página no Facebook no qual ela contou o que lhe aconteceu há 10 anos. Suas palavras nem mesmo necessitam de introdução.

 

<<Muitos têm falado sobre a necessidade do aborto para salvar a vida da mãe. Eu fui uma destas mães.

Com 20 semanas de gestação, eu fui diagnosticada com um câncer agressivo que atingiu minhas vias aéreas. Jamais esquecerei quando o primeiro médico com quem me consultei, um oncologista, mencionou sobre aborto. Nós havíamos passado por anos de infertilidade até que eu conseguisse engravidar. Eu preferiria dar à luz e morrer. Consultei-me então com um outro médico que listou todos os problemas que meu bebê teria se eu não o abortasse. Eu mantive minha posição e recusei o aborto. Ele disse: “Tudo bem. O bebê provavelmente será abortado espontaneamente.”

Eu busquei e encontrei ótimos médicos que me apoiaram, e eu dei à luz um bebê saudável após 34 semanas de gestação.

Eu estou celebrando 10 anos sem câncer neste mês de maio. Eu tenho junto a mim uma menina de 10 anos que é saudável, linda, inteligente e muito preciosa, e que é a prova viva de que nem sempre os médicos sabem de tudo.>>

 

* * *

Quando lhes falta argumentos, os defensores do aborto sempre tentam desviar a discussão para os casos extremos: aborto para salvar a vida da mãe e aborto por motivo de estupro.

Engana-se muito quem acha que os abortistas fazem isto por uma real preocupação com a saúde física ou psicológica das mulheres. De forma nenhuma. Sempre há a apelação para estes tipos de casos apenas como forma de flexibilizar a opinião pública e assim tornar o aborto cada vez mais palatável ao público em geral.

Sobre o caso de estupro, indicamos a leitura de uma tradução que fizemos aqui para o blog que pode ajudar a colocar alguma luz sobre esta difícil questão: “É aceitável o aborto por motivo de estupro ou incesto?”. Além disto, indicamos também algumas de nossas postagens relacionadas ao tema, que podem ser lidas clicando aqui.

Já quanto ao caso de aborto para salvar a vida da mãe, o reconhecido médico e cirurgião pediatra C. Everett Koop, que chegou a ocupar o importante cargo de Cirurgião Geral dos EUA, declarou certa vez que

 

“É uma cortina de fumaça alegar a preservação da vida da mãe para justificar um aborto. Em meus 36 anos de cirurgia pediátrica, jamais soube de um caso onde a criança teve que ser abortada para que se salvasse a vida da mãe. Se já próximo do fim da gravidez as complicações sejam de tantas que ameacem a saúde da mãe, o médico irá induzir o parto ou fazer uma cesariana. Sua intenção é salvar a vida de ambos, da mãe e do bebê. A vida do bebê jamais é diretamente destruída porque a vida da mãe está em perigo.”

 

Aqui mesmo no blog já tivemos a oportunidade de publicar várias postagens em que mães recusaram o aborto mesmo quando diante da morte. É também este o caso de Sarah Wickline Hull, que teve de enfrentar não apenas seus medos, mas também a intimidação de médicos que não respeitaram nem a vida da bebê que ela carregava em seu ventre e nem mesmo sua rejeição ao aborto.

E é exatamente como ela diz: “nem sempre os médicos sabem de tudo”.

Image may contain: 4 people, people smiling, ocean, outdoor and water
Sarah e sua linda família

1 Reply to “Diagnosticada com câncer e contra o conselho de seus médicos, esta mãe recusou abortar sua filha”

  1. Maldito quem aceitar qualquer pagamento para matar uma pessoa inocente.
    Deuteronómio 27:25

    Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramarem o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniquidade; destruição e quebrantamento há nas suas estradas.
    Isaías 59:7

    De palavras de falsidade te afastarás, e não matarás o inocente e o justo; porque não justificarei o ímpio.
    Êxodo 23:7

    Assim veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
    Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses do útero, te santifiquei; às nações te dei por profeta.
    Jeremias 1:4,5

    E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
    Este é o primeiro e grande mandamento.
    E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
    Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
    Mateus 22:37-40

    Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa;
    Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.
    Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
    Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
    Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
    E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!
    Salmos 139:12-17

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *