Honduras blinda lei contra o aborto para impedir a legalização

O Congresso Nacional de Honduras aprovou nesta quinta-feira (21/01/21) um projeto de lei que proíbe absolutamente qualquer aborto no país, dando um duro golpe na esquerda internacional e George Soros. A iniciativa protege o artigo 67 da Constituição de Honduras sobre a proibição do aborto.

O projeto foi apresentado no dia 11 de janeiro pelo vice-presidente do Parlamento, Mario Pérez, deputado do Partido Nacional. O aborto foi criminalizado em Honduras em todas as suas formas desde 1997. Projetos de lei que buscam descriminalizá-lo sob três causas diferentes não obtiveram apoio suficiente dos deputados.

A reforma constitucional é conhecida pelo nome de ‘Escudo contra o aborto em Honduras’. O artigo 67 define como “proibida e ilegal a prática de qualquer forma de interrupção da vida do nascituro, cuja vida deve ser respeitada em todos os momentos”. Desta forma, Honduras entra para a lista dos quatro países latino-americanos que criminalizam totalmente o aborto, junto com El Salvador, Nicarágua e República Dominicana.

O parlamentar Mario Pérez afirmou: “Esta reforma surge da onda de reformas constitucionais nos países latino-americanos, impulsionadas pelos governos de esquerda que querem legalizar o aborto, como aconteceu recentemente na Argentina, e não podemos permitir que isso aconteça em Honduras”.

Da mesma forma, o deputado reforçou que o Partido Nacional é pró-vida e que defenderá a qualquer custo a vida dos nascituros. Nesse sentido, a medida contrasta com o que aconteceu em dezembro na Argentina, país que violou gravemente os direitos das mulheres, legalizando o feminicídio e o infanticídio, ou seja, a permissão para abortar meninas e meninos.

Em resposta à aprovação do projeto de lei, grupos feministas expressaram sua insatisfação nas redes sociais. Além disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) condenou o projeto na terça-feira, alegando violação de supostos direitos sexuais e reprodutivos. Entretanto, centenas de cidadãos hondurenhos comemoraram a medida: muitas postagens no Twitter com o slogan #Hondurasesprovida (Honduras é pró-vida).

Fonte: Razón más Fé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.